Design Thinking e o Direito - O advogado como “buscador de soluções"

 

Já há algum tempo venho estudando o design thinking e buscando aplicar seu mindset no meu dia a dia, tanto no trabalho quanto em projetos pessoais.

 

Isso porque, mais do que um método, o design thinking é uma atitude mental, uma forma de pensar voltado para a solução de problemas e para a inovação e pode ser aplicado nas mais diversas áreas e nas mais diversas atividades, como por exemplo no desenvolvimento de um produto, um serviço, uma nova metodologia, um processo, uma atividade, um discurso, uma relação empresarial, etc.

 

E sim, nobre colega, ele é totalmente aplicável ao seu dia a dia como advogado.

 

O design thinking busca entender o ecossistema onde a questão a ser analisada está inserida, entender os anseios das pessoas envolvidas naquele fato e de posse destas informações identificar qual é o real problema a ser resolvido para poder enxergar as possibilidades de solução e principalmente de inovação.

 

Mais do que um método, o design thinking é uma atitude mental

 

Note que o primeiro passo de um projeto baseado no Design Thinking não busca solução, pelo contrário, ele busca entender qual é realmente o problema antes de começar a buscar qualquer solução.

 

A questão é que geralmente se acredita que trazer uma solução imediata é sinal de competência, porém ao se agir desta forma é incorporado um pensamento linear baseado em experiências anteriores - basicamente se pensa “quando aconteceu algo assim ou similar a isso resolveu-se de tal forma, então este problema se resolverá da mesma forma novamente”, assim tentamos trazer soluções do passado para questões que surgem hoje, e em um presente tão dinâmico - apenas isso não é mais suficiente.

 

Além desse pensamento linear, outro problema ao se adotar esta postura é que a mesma faz com que a solução ideal não seja encontrada e ainda impede que se identifique oportunidades de inovação, pois se busca antecipar solução sem a correta definição do problema e sem se entender efetivamente a situação e as pessoas envolvidas.

 

E onde isso se encaixa na advocacia?

 

Geralmente quando um advogado é consultado, o empreendedor quer saber se pode ou não seguir por determinado caminho e quais os riscos potencialmente envolvidos.

 

É importante que o advogado seja visto como parceiro e não como empecilho no processo de criação.

 

A tendência é que, baseando-se em jurisprudências e doutrinas (fatos passados), aponte-se os problemas, os “nãos”, os riscos envolvidos. Algumas vezes são elaborados contratos complexos, burocráticos, difíceis de entender por quem não é do mundo jurídico. E como solução são apontadas possíveis teses que poderão ser discutidas judicialmente.

 

Sim, apontar riscos é parte essencial da advocacia, e o seu cliente precisa ter consciência deles, e sim, existem questões que precisam ser levadas ao judiciário, mas se um empreendedor te consulta acerca de determinado caminho que ele quer tomar, é porque aquele caminho é importante para ele, certo?

 

Então, utilizando-se do mindset do design thinking passe a primeiro procurar entender a questão a fundo, converse com o seu cliente e com pessoas envolvidas naquele projeto nas mais diversas áreas, só assim você irá entender realmente o que o seu cliente está pensando e o que ele precisa, para então poder ajuda-lo.

 

Agindo desta forma, deixa-se de ser apenas alguém que aponta dificuldades e busca judicializar questões para se tornar um profissional que busca solução efetiva, que aponta os riscos, mas também traz sugestões de como anular este risco ou minimizar seu impacto, que traz alternativas, que co-cria soluções.

 

O design thinking pode tornar o advogado um parceiro estratégico da inovação. Pense nisso!

 

Em setembro teremos o Workshop: Legal Design Thinking & Comunicação Efetiva. O início de uma jornada para o desenvolvimento das habilidades e competências (soft skills) essenciais ao novo advogado. 
Vamos falar um pouco mais sobre o assunto. Participe!

Please reload

Posts Recentes

November 29, 2018

Please reload

Arquivo
Please reload

Solicite uma proposta.

Agradecemos sua visita! 

  • WhatsApp
  • Facebook
  • LinkedIn
  • Instagram

Contato:

Maria Angélica Prates Güntzel

Porto Alegre - RS

​WhatsApp (RS): 51-984328121
WhatsApp (SC): 48-988476711

​E-mail: contato@eventsoffice.com.br